Made in Downtown LAVertically Integrated Manufacturing
Some of the articles and stories we find most interesting.
      • United States
      • Canada
      • Québec
      • Argentina
      • Australia
      • Belgique
      • Brasil
      • 中国
      • Česká republika
      • Deutschland
      • France
      • Great Britain
      • Ireland
      • Israel
      • Italia
      • 日本国
      • 한국
      • México
      • Nederland
      • Österreich
      • Schweiz
      • Sverige
    • Events
    • Awards & Honors
American Apparel chega ao Brasil em agosto
Eduardo Viveiros
May 14, 2008


Sucesso instantâneo pelo mundo e dona de uma filosofia de negócios incomum, a rede American Apparel sai de Los Angeles e desembarca em São Paulo no segundo semestre.

O zumzum já vinha soando pelos bastidores da moda há meses, mas agora a confirmação é oficial. A primeira loja sul-americana da AA ocupa uma antiga oficina mecânica na rua Oscar Freire, ao lado da cafeteria Santo Grão. A reforma está a todo vapor, e a inauguração está marcada para o fim de julho.

Quem está viabilizando a filial paulistana é Thais Lima, brasileira que trabalha na marca em LA e esteve envolvida na abertura de todas as lojas da rede. Segundo ela, "o Brasil precisava de uma American Apparel".

Idealizada por Dov Charney, a marca começou a ganhar destaque no mundo fast fashion no começo dos anos 2000. Sua origem é na venda de camisetas por atacado, que logo evoluiu para uma linha de moda jovem, colorida e meio oitentista. Eles também não trabalham com coleções sazonais, o que ajuda a manter os preços acessíveis.

Além das roupas, a filosofia da marca é outro destaque. A AA adota o modelo de "integração vertical" - é dona de todas as suas franquias e controla a produção em todos os pontos. Assim, do design das peças à encomenda de tecido, tudo é feito na fábrica, em Los Angeles. Ali são produzidos também o site (que já entrega no Brasil) e todas as campanhas, estreladas por funcionários e anônimos.


A loja na Oscar Freire é a primeira da expansão sul-americana da marca. Segundo Thaís, os esforços serão concentrados em São Paulo, mas os planos para o futuro incluem lojas no Rio de Janeiro, além de países vizinhos.

Thais acredita que a abertura da loja no centro do luxo não vai influenciar os preços camaradas da marca. "A importação preocupa, porque interfere no preço final. Mas como fabricamos tudo, temos uma margem bacana para trabalhar com o valor", explica. E garante: "Não fugiremos da nossa essência".
Link to Source (opens in a new window)